CONTROLE DE QUALIDADE NO VESTUÁRIO PARA A EXCELÊNCIA DA MODA

Jan 31, 2020 12:45:50 PM

O tema da qualidade está de volta aos holofotes depois de anos de corrida pelo preço também na moda: o que aconteceu? Finalmente começamos a falar sobre sustentabilidade, ética, e reciclagem também para as roupas e acessórios. Os consumidores ganharam consciência e estão cada vez mais perguntando às marcas e às lojas (real ou virtual) onde compram sobre uma série de garantias relacionadas à produção e ao ciclo de vida das roupas. E o que o controle de qualidade em roupas tem a ver com isso? Isso é fundamental.

 

Qualidade e sustentabilidade

 

Não é sustentável investir na produção de peças de vestuário que duram alguns meses e depois se jogar fora, sem esperança de se recuperar em um mercado de segunda mão. E os consumidores estão dispostos a gastar, mas apenas se encontrarem transparência e valor, 66%, de acordo com o relatório The State of Fashion 2019, feito pela BoF (The Business of Fashion) e McKinsey & Co., estão dispostos para gastar mais na compra de produtos sustentáveis , 42% da geração Y e 37% da geração Z declaram que não compram, a menos que sejam informados sobre as matérias-primas e os métodos de produção do que compram.

 

As muitas variáveis para qualidade

 

É claro que a sustentabilidade não é o único aspecto que reflete na qualidade de uma peça de roupa; por exemplo, uma das preocupações mais relevantes daqueles que produzem moda são os tamanhos e o desgaste, e não é coincidência que, nos últimos anos, graças ao e Commerce, novos nomes pareçam definir ainda mais precisamente como uma peça de roupa será mais uma vez usada. Grande, médio ou pequeno? E então curto, longo, cheio de curvas ... além do tamanho, está a silhueta. Cada vez mais, os fabricantes precisam lidar com esses detalhes, possivelmente sem desacelerar ou pesar o processo de produção, produzindo imediatamente bem ou, pelo menos, tirando informações úteis de erros, a fim de melhorar imediatamente os processos e a qualidade do produto acabado. A qualidade é, portanto, um tema complexo que envolve inúmeros elementos, de tecidos a fios, o design da coleção e muitas variáveis ​​relacionadas às fases de produção, à confiabilidade de fornecedores, costuras, corantes e tinturas, corte, montagem e inserções de acessórios como botões ou zíperes.

 

As três fases e os riscos associados

 

Convencionalmente, existem três fases no controle de qualidade:

  1. As matérias-primas,e depois os tecidos e acessórios
  2. O processo de produção
  3. O produto acabado

 

Buscar o controle completo nas três fases é crucial para o produtor. As consequências negativas são realmente muito sérias: se o controle de qualidade intervir apenas na fase final do processo, não será possível remediá-lo se não estiver jogando a peça com defeito ou fazendo a segunda qualidade, perdendo valor, pois talvez o tecido esteja manchado, a silhueta não foi respeitada, há erros na construção ou nas medidas. O produto pode ser recusado pelo cliente ou os custos aumentarão para adquirir um controle externo de qualidade; a marca ou a reputação do fabricante serão afetadas e também o comprometimento dos trabalhadores, uma vez que serão os primeiros a serem acusados ​​de imperfeições; ainda mais sério, as peças de vestuário podem ser retiradas do mercado ou o tempo de produção aumentará, colocando o contrato em crise. O custo do erro, mesmo quando interceptado, ainda é alto porque o reparo custa muito em termos de atrasos no tempo de entrega, na equipe e nos materiais. Se adicionarmos as responsabilidades adicionais que a empresa possui ao fazer uso de subcontratados, fica claro o quão complexo o problema é gerenciar. Seu impacto é sentido no nível do design do produto, seja de vestuário ou acessório; de abordagem ao estilo e, portanto, de detalhes de vestibilidade e moda, como cores; da marca, que deve garantir certos padrões, seria melhor se conseguisse sempre elevar a qualidade, se não quiser decepcionar os clientes; e, finalmente, afeta o mercado, pois afeta adversamente as vendas e também atrapalha as compras futuras dos clientes.

O controle de qualidade é, portanto, um dos aspectos mais delicados da produção e, se negligenciado, pode se tornar um risco para o futuro da empresa e a equipe que emprega, bem como para a reputação e as vendas da marca em nome da qual está sendo produzindo.

Topics: Software Moda