PRODUÇÃO DE VESTUÁRIO: 3 INSTRUMENTOS DE CONTROLE 4.0

Nov 28, 2019 12:42:55 PM

A produção de roupas é um item fundamental e as empresas que atuam no setor, por exemplo, como subcontratadas, possuem uma vasta experiência e habilidades que hoje são necessárias para acolher as inovações da Indústria 4.0, sob pena de serem excluídas dos mercados atuais, ou seja, da lista de grandes clientes. O paradigma 4.0, de fato, inclui uma série de tecnologias, chamadas KET (Key Enabling Technologies), que representam tantos recursos com o objetivo de monitorar rigorosamente o nível de eficiência, o progresso da produção, a qualidade da peça e os tempos de processamento. Isso se traduz em flexibilidade e velocidade de adaptação ao mercado. Por esse motivo, dentro dessas tecnologias facilitadoras, os produtores do setor da moda devem identificar aqueles que são adequados para eles. Em particular, sistemas de informação especializados que permitem a integração horizontal e vertical de informações. Sua adoção oferecerá a eles 3 ferramentas de controle de nível:

  • produtivo
  • gestão
  • tempos e métodos

 

Controle horizontal da produção graças ao MES

 

A primeira ferramenta essencial para uma empresa de produção de roupas é o MES (Manufacturing Execution System). Sua integração horizontal ao longo da cadeia de suprimentos, conforme previsto no modelo 4.0, permite a conexão direta entre negócios e fábricas, lotes e artigo único. Independentemente de serem contratados ou não. Dessa forma, o tempo de coleta de informações é reduzido, pois o MES é capaz de obter dados em tempo real sobre progresso, eficiência, rendimento, atrasos, erros, gargalos, etc. Em outras palavras, controlando todas as áreas operacionais que contribuem para a criação de valor, o sistema gerencia as fases de prototipagem, construção e produção no menor tempo possível e sem desperdício de materiais e recursos. Além disso, ele consegue orquestrar e automatizar os processos de estabelecimento através de uma dupla capacidade: planejar a produção de maneira equilibrada; balancear automaticamente as cargas da cadeia para que não haja estações de trabalho sobrecarregadas e outras sem utilização.

 

Controle vertical de gerenciamento de negócios com ERP

 

Apesar de ser o instrumento de controle por excelência no campo da produção de roupas, o MES pode ser usado como um módulo de uma arquitetura de TI mais ampla, o ERP (Enterprise Resource Management). Do ponto de vista da comunicação de sistemas, máquinas e pessoas da Indústria 4.0, a co-presença dos dois cumpre tarefas complementares. Se o primeiro, de fato, realiza a integração horizontal na fábrica desde o momento em que o pedido chega até o final da peça acabada, é com o ERP que o vertical ocorre. Todos os aspectos de gerenciamento (criação de artigos do produto, listas de preços, cálculo de necessidades, compras, vendas, estoque, etc.) são rastreados até as unidades, simplificando processos e procedimentos. Nesse caso, o controle se concentra em todas as funções corporativas e de back office. O vínculo com o MES, portanto, é desejável, porque os dados de produção adquirem mais valor e dão aos chefes de departamento, gerência e proprietário a possibilidade de correlacionar diretamente o fluxo de produção com cada área de negócios.

 

A otimização necessária de tempo, custos e qualidade


Se o ERP e o MES são os pilares da fábrica inteligente na era 4.0, existem outras ferramentas que cooperam no controle da produção de roupas. Estes são módulos normalmente combinados com o MES, com o qual é possível detectar tempos e métodos, de modo a também criar custos automáticos resultantes dos custos reais incorridos. Entre as ferramentas de gerenciamento mencionadas até agora, essas também não podem faltar. A interdependência entre eles, de fato, torna possível objetivar as operações clássicas de uma indústria da moda, deduzindo os custos espontaneamente a partir do cálculo do tempo necessário para cada operação, dependendo do tipo de processamento e da eficiência esperada da empresa. Um cálculo que também diz respeito à incidência do defeito e reparo no fluxo de trabalho geral e, portanto, à qualidade, do cadastro dos defeitos ao reparo na cadeia. Essa otimização de tempo, custos e qualidade seria impossível sem uma verificação oportuna e imediata de tudo o que acontece na fábrica. E é uma necessidade da qual a produção de roupas de hoje não pode mais escapar.

Topics: MES Moda, Industria 4.0 Moda, ERP Fashion